Um ano que nós conhecemos…

Pedro no dia que fiquei sabendo que você era um menino, confesso que foi um misto de sentimentos em meu coração e mente.

Eu já sabia ser pai de menina. Ser seu pai, pai de um menino! Seria tudo novo, seria novos desafios, e isso eu confesso me deixou com muito medo.

Tive medo das cobranças do mundo sobre você, tive medo se conseguiria te guiar nos momentos importantes, se você seria um homem justo e honesto, se você seria um profissional competente e realizado, se você alcançaria todos os seus sonhos.

Tive medo de não conseguir ser uma base solida para você e para a Bia.

Tive medo de não sermos ligados como eu era com a Bia, tive medo de não amar vocês dois por igual.

Confesso que passei todos os dias que você estava na barriga da mamãe com muito medo!

Até o dia que trocamos o primeiro olhar, até o dia que você nasceu e o meu colo foi o primeiro que você caminhou (te carreguei da sala de parto até o berçário).

Naqueles poucos segundos, eu soube que eu tinha poucas certezas sobre o seu futuro, mas uma certeza eu tinha, eu nunca te deixaria só, eu seria seu porto seguro, um lugar onde você sempre teria um amigo, um parceiro.

Hoje faz um ano desse nosso primeiro encontro, e nossa ligação só cresce. Aprendi que o amor não se divide, ele multiplica, aprendi a ser pai de menina e menino.

Com você eu aprendi mais em um ano sobre ser homem, do que em minha vida toda sendo um.

Filho você ainda não se formou, ainda não tirou sua CNH, ainda não aprendeu a amarrar seus sapatos, mais eu já tenho o maior orgulho de você.

LEAVE A COMMENT